Ribas: Termina em dezembro prazo para idosos beneficiários do BPC se inscreverem no CadÚnico

13/11/2017 08h54

O período para o cadastramento termina em 31 de dezembro e, após essa data, quem não estiver inscrito perde o direito ao benefício.


 
Por: Assessoria de Comunicação
 
O período para o cadastramento termina em 31 de dezembro e, após essa data, quem não estiver inscrito perde o direito ao benefício.O período para o cadastramento termina em 31 de dezembro e, após essa data, quem não estiver inscrito perde o direito ao benefício.

Estão abertas as inscrições do Cadastro Único (CadÚnico) para as pessoas idosas que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O período para o cadastramento termina em 31 de dezembro e, após essa data, quem não estiver inscrito perde o direito ao benefício. A informação é da Secretaria Municipal de Assistência Social de Ribas do Rio Pardo.

Para fazer o cadastramento, o Responsável Familiar (RF) deve ter mais de 16 anos. Não é preciso que ele seja beneficiário direto do BPC, basta morar na mesma casa em que vive o beneficiário e dividir as reponsabilidades com despesas e renda.

O Responsável Familiar deve procurar o CRAS onde funciona Cadastro Único, preferencialmente, no mês de aniversário do beneficiário. Caso a data do aniversário já tenha passado, a família deve fazer o cadastro o mais rápido possível. Não se esquecer de levar os números de CPF de todos os membros da família.

É importante reforçar as famílias de beneficiários do BPC já inscritas no Cadastro Único que os dados devem ser atualizados sempre que houver modificações, como mudança de endereço, alteração na composição familiar, ou, ainda, no prazo máximo de até dois anos. A desatualização do cadastro poderá levar à suspensão do benefício.

Benefício da Prestação Continuada (BPC)

O Benefício da Prestação Continuada (BPC) da Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) é a garantia de um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção, nem de tê-la provida por sua família.

Para ter direito, é necessário que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor que 1/4 do salário-mínimo vigente.

Por se tratar de um benefício assistencial, não é necessário ter contribuído ao INSS para ter direito. No entanto, este benefício não paga 13º salário e não deixa pensão por morte.

Informe-se no CRAS: o cidadão pode procurar o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) mais próximo da sua residência para esclarecer dúvidas sobre os critérios do benefício e sobre sua renda familiar, além de receber orientação sobre o preenchimento dos formulários necessários.